A TAM divulgou nota oficial sobre a crise dos aeroportos. A empresa informa que os vôos partindo dos aeroportos do Sudeste e de Brasília estão com atraso médio de duas horas. A TAM cancelou 66 vôos ontem, a pedido da Anac, devido ao problema no sistema de comunicação do Cindacta 1, em Brasília.

A companhia aérea negou as especulações de que teria suspenso a venda de passagens para alguns destinos em função da crise do setor. A TAM informa também que reforçou sua equipe para minimizar os transtornos aos passageiros, mas ressaltou que a divulgação de informações sobre os vôos cabe às autoridades do setor aéreo, responsáveis pela autorização de pouso e decolagem das aeronaves.

Aeroportos

Os aeroportos do País continuam com longas filas e atrasos de uma a duas horas hoje. No Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, as filas do check-in voltaram a aumentar e pelo menos oito partidas estavam atrasadas até às 15 horas, nenhuma delas internacional.

Apesar disso, a situação entre os passageiros que aguardam no saguão é calma. Cinco vôos que chegariam à capital paulista estavam atrasados e todas as chegadas a partir das 15 horas confirmadas. O maior atraso era um vôo da TAM que iria para Aracaju com escala em Maceió, que deveria ter saído às 11h45 mas foi confirmado para às 15h20 e já aparecia como atrasado no painel.

No Aeroporto de Congonhas, na zona sul, 18 vôos de chegada e nove de partida estavam atrasados. Uma senhora que chegou em São Paulo vinda de Curitiba chegou a desmaiar no desembarque e foi atendida nos primeiros socorros do terminal. Segundo informações da Rádio Eldorado, o desmaio teria ocorrido por conta de um acidente de carro que a passageira sofreu antes de chegar na cidade. As empresas aéreas que operam em Congonhas chegaram a suspender a venda de passagens com destino a Brasília.