São Paulo – O ex-presidente nacional do PT Tarso Genro afirmou hoje que será um "juiz da Constituição" e não um defensor dos interesses do governo, caso seja nomeado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva como ministro o Supremo Tribunal Federal (STF).

Genro consta de uma lista estudada por Lula, contendo nomes que poderão ocupar as vagas que serão abertas no STF com a aposentadoria do ministro Carlos Velloso e as possíveis saídas do presidente do Supremo Tribunal, ministros Nelson Jobim, e do ministro Sepúlveda Pertence.

A relação inclui nomes de petistas que, como o ex-presidente nacional do PT, possuem formação jurídica, mas se voltaram para a vida política, entre eles os deputados Luiz Eduardo Greenhalgh (PT-SP) e Sigmaringa Seixas (PT-DF).

Genro disse que ainda não discutiu o assunto com o presidente e insistiu que prefere aguardar até que a questão adquira uma forma mais concreta, antes de dizer se aceitaria ou não a indicação.

Admitindo a possibilidade, ele ressaltou que nunca traçou uma meta pessoal nesse sentido. "Eu confesso que esta é uma idéia que nunca esteve nas minhas prioridades", afirmou. "Mas também não me espanto, já que sou dessa área", acrescentou.