Após atingir sete jogos sem vitória, chegar à lanterna do Campeonato Brasileiro e enfrentar inúmeros protestos da torcida, Geninho mostrou toda sua irritação pelas especulações sobre a contratação de um novo técnico para o Corinthians. O nome que tirou Geninho do sério foi o de Renato Gaúcho, atual técnico do Vasco, que, de acordo com a imprensa carioca, iria para o Corinthians.

"Parece que alguns estão torcendo para que o cargo fique vago e ficam se oferecendo. Na nossa classe, parece que todo mundo quer o cargo de todo mundo. Não falta ética para a nossa classe, falta união", irritou-se Geninho.

O diretor da MSI, a parceira que administra o futebol corintiano., Paulo Angioni, não deixou dúvida: "Já falaram do Parreira, falam agora do Renato Gaúcho. Vamos ver qual será o próximo nome. Isso é um absurdo. A MSI acredita no Geninho.

Apesar das críticas e dos boatos, o treinador desconversou sobre seu futuro no cargo. Mas ele sabe que o jogo de domingo, contra o Santa Cruz, em Recife, é decisivo para a sua permanência no Corinthians. "É difícil falar em futuro. Tudo é muito dinâmico. No domingo voltamos a falar sobre isso", garantiu Geninho.

Para tentar a reação contra o Santa Cruz, Geninho já começou a armar o time. Sem grandes surpresas, ele comandou um treino hoje dando sinais de quais serão os titulares em Recife. Novidades apenas as voltas do volante argentino Mascherano e do atacante Rafael Moura, que cumpriram suspensão, e as entradas dos zagueiros André Leone e Betão, substituindo os suspensos Marcus Vinícius e Sebá.

Assim, o provável time do Corinthians para o jogo de domingo, contra o Santa Cruz, em Recife, deve ter a seguinte formação: Silvio Luiz; Edson, André Leone, Betão e Gustavo Nery (Rubens Júnior); Marcelo Mattos, Mascherano, Rosinei e Ricardinho; Tevez e Rafael Moura.