Os técnicos da Receita Federal classificaram a greve realizada pelos Auditores Fiscais como corporativa e inusitada. Parados, desde quinta-feira, os auditores protestam contra a medida provisória que criou a Receita Federal do Brasil, a chamada Super Receita.

"É um absurdo uma categoria fazendo greve contra a outra em prejuízo do contribuinte", afirma um dos diretores da Executiva Nacional do SindiReceita, (o sindicato dos técnicos da Receita), Roberto Carlos dos Santos.

O Sindicato dos Auditores Fiscais (Unafisco) alega que, com a unificação das secretarias da Receita Federal e da Previdência, houve quebra do princípio constitucional de realização de concurso para acesso ao serviço público.

Segundo o sindicato, a nova medida permite a servidores de outras carreiras ocuparem o posto de auditor fiscal sem concurso público. Os técnicos da Receita Federal questionam os argumentos apresentados pelos auditores.

"A manifestação é corporativa na medida em que ambos os cargos (tanto o de auditor como o de técnico) são de nível superior e exercem, por lei, praticamente a mesma atribuição desde 1999", diz Santos. "O movimento é desespero de quem percebeu que está perdendo espaço". A paralisação de dois dias dos auditores se encerra nesta sexta.