Técnicos da Sanepar e de vários órgãos governamentais discutiram hoje em Curitiba os primeiros resultados dos trabalhos de pesquisa interdisciplinar realizados desde 2000 para controlar a proliferação de algas na barragem do Iraí. Os estudos também vão nortear a construção de mais duas barragens na Região Metropolitana para evitar que o problema se repita. Pela análise do gerente da área de pesquisa, Cleverson Andreoli, as ações que já foram colocadas em prática estão sendo consideradas positivas.

Ele explica que as barragens construídas na Região Metropolitana possuem duas características que facilitam o aparecimento das algas. Entre elas a baixa profundidade e o período de residência da água dentro da barragem. (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)