O Instituto de Tecnologia do Paraná – Tecpar já está habilitado para certificar produtos transgênicos. Para isso, incorporou profissionais auditores da área de biologia molecular, com a função de disponibilizar, em especial aos exportadores brasileiros de soja e farelo de soja, o sistema de certificação de produtos não-transgênicos.

Os ensaios são feitos através do Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP), laboratório ligado ao Tecpar. “Nós fomos pró-ativos em nos capacitarmos antes de sair a nova legislação e hoje estamos em condições de evitar barreiras técnicas para os produtos brasileiros”, comenta o diretor de certificação do Tecpar, Júlio Félix.

A habilitação do Tecpar visa atender o decreto federal (n.º 8.078) que obriga a rotulagem de todos os alimentos que contenham ou sejam produzidos a partir de transgênicos comercializados no país. O objetivo é informar os consumidores sobre a presença de organismos geneticamente modificados em alimentos e ingredientes alimentares.

De acordo com a nova regulamentação, todo produto que contenha mais de 1% de conteúdo transgênico deverá ser rotulado.

A regulamentação é válida para qualquer tipo de alimento, desde os vendidos em embalagens nos supermercados até os que são utilizados como matéria-prima. As novas embalagens deverão conter um selo de identificação e o nome do produto deverá vir acompanhado da palavra “transgênico” e da identificação dos ingredientes.