Termina hoje (22) a ExpocelpaSul 2006, o maior evento de celulose e papel do Sul do país. A exposição, que atraiu cerca de 4 mil pessoas entre os dias 20 e 22 de junho, no Cietep, em Curitiba, contou com a participação de 40 expositores do todo o Brasil e do exterior. ?O mercado correspondeu de forma muito positiva à segunda edição da ExpocelpaSul. Isto demonstra que os empresários estão atentos às tendências e inovações tecnológicas do setor?, considerou Ademir Vicente da Silva, gerente regional do Senai Campos Gerais.

De acordo com ele, o objetivo da organização do evento, uma parceria entre o Senai Cetcep (Centro de Tecnologia em Celulose e Papel), em Telêmaco Borba, e Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel (ABTCP), foi ?proporcionar um encontro de profissionais para a troca de experiências e contatos. Em eventos como este, industriais e fornecedores estreitam o relacionamento. E isto pode gerar novos negócios?, comentou Silva.

O gerente do Senai Cetcep, Artur Antonio Mazon, explicou que a exposição contou com a participação de fornecedores especializados nos segmentos de papéis tissue e embalagem. ?Na ExpocelpaSul, as indústrias da região Sul, que são especializadas nestes segmentos, encontram soluções em máquinas, equipamentos, produtos químicos, sistemas de logística, serviços de engenharia e consultoria, controle de qualidade, entre outros?, completou.

Destaques

Três produtos do Senai Cetcep chamaram a atenção dos empresários que visitaram a ExpocelpaSul 2006. O laboratório móvel, a máquina piloto para fabricação de papéis e os cursos à distância.

Construída em escala reduzida e de forma artesanal, a máquina piloto para fabricação de papéis está sendo desenvolvida na sede do Cetcep, em Telêmaco Borba.

De acordo com o técnico em manutenção de equipamentos, Álvaro Bahena, responsável pela criação e desenvolvimento do projeto, a máquina ainda não está completa. ?Ainda falta a parte da secagem do papel, que estamos fazendo. Hoje a máquina está com três metros de comprimento. Com a secagem, a máquina piloto ficará com, no máximo, sete metros de comprimento?, disse Bahena. Nas fábricas de papel, esta máquina de papel tem de 50 metros a 250 metros de comprimento.

Segundo o gerente do Senai Cetcep, a idéia surgiu da necessidade de criar uma ferramenta didática para os alunos da unidade. ?Esta máquina será utilizada nos cursos do Senai. É a melhor maneira para demonstrar problemas, criar situações. Desta forma, fica mais fácil o entendimento do aluno?, afirmou Mazon. A máquina está sendo construída com o apoio da Klabin, Albany, Weg, Equimapel, Brasbom e Produquímica.

Além da máquina piloto, o Senai Cetcep também está reformulando e aprimorando os cursos à distância, que são oferecidos desde 1998. ?Criamos novas ferramentas de mídia, como vídeos e animações em três dimensões, e, além do CD Room, agora livros impressos também acompanham o material. Com estas ferramentas, esperamos aumentar a interatividade com o aluno?, contou o gerente do Senai Cetcep, lembrando que a nova versão dos cursos será lançada no mercado no segundo semestre.

Mazon destacou ainda que, através da Internet, o aluno pode ter acesso aos cursos do Senai de qualquer lugar. ?As aulas são on-line, assim como as avaliações, que são realizadas em tempo real?, observou. De acordo com ele, os cursos foram divididos em módulos com o objetivo de diminuir os custos e ampliar o acesso.

?Numa sala de aula, o professor não tem condições de passar uma situação real. Com os recursos tecnológicos que os cursos à distância oferecem, nós fazemos o aluno navegar por dentro de uma fábrica. Trazemos todo o processo de produção de uma fábrica gigante para a tela do computador?, afirmou o gerente do Senai Cetcep.

Outro destaque da ExpocelpaSul 2006 foi o laboratório móvel. Criado há oito anos através de uma parceria entre o Senai Paraná e a Regmed, uma fábrica de máquinas e equipamentos laboratoriais, a unidade móvel já rodou todo o país oferecendo consultoria técnica e cursos de capacitação às indústrias de papel.

?Com o laboratório móvel, temos condições de entrar com a madeira in natura, em forma de cavaco, e sair com o papel testado?, explicou Mazon. Através da unidade móvel são realizados treinamentos in company no Brasil e América Latina, como programas de qualificação e análises de características físico-mecânicas do papel e da celulose.