Todos os testes com sementes de soja de produtores do Núcleo Regional da Secretaria da Agricultura em Francisco Beltrão confirmaram a ausência de organismos geneticamente modificados. A informação foi dada nesta quinta-feira (24) pelos engenheiros agrônomos da Secretaria, Eduardo Martins Portelinha e João Fernando Guarienti. Segundo eles, as análises foram feitas em 198 lotes de sementes.

Para Eduardo Martins Portelinha, os resultados demonstram o cuidado na produção de sementes das classes básica e certificada de soja convencional na região de Francisco Beltrão. ?Isso foi possível graças aos esforços dos produtores de sementes da região, que recebem assistência dos técnicos da Secretaria desde o plantio até o beneficiamento do produto colhido nos campos de sementes convencionais?, afirmou.

A Secretaria da Agricultura, por meio da Divisão de Produção de Sementes e Mudas (DPSM), efetuou mais uma etapa do processo de certificação de sementes de soja convencional do Estado entre junho e agosto. Foram amostrados todos os lotes produzidos a partir de campos de sementes das classes básica e certificada.

Segundo Guarienti, entre janeiro e maio 146 campos de sementes de soja convencional, nas fases de floração e pré-colheita, foram inspecionados pelos fiscais da Secretaria. ?Ao todo, foram analisadas 46.802 sacas de sementes, de 40 quilos cada, divididas em 198 lotes?, disse.

Ele lembrou que em janeiro o Núcleo da Secretaria em Francisco Beltrão recebeu os documentos que comprovaram a ausência de contaminantes transgênicos no lotes das sementes usados para multiplicar as sementes convencionais de soja.

Para os agrônomos, os resultados negativos confirmam que a Secretaria proporciona aos produtores do Paraná segurança na compra de suas sementes convencionais de soja. ?Dessa forma, diminui-se os riscos de contaminação da produção por soja OGM, como também os contratempos que isso acarretaria no momento da sua comercialização?, disse Portelinha.