Carlitos Tevez gosta de mordomias e fala o que pensa. Mas nos últimos dias, seguindo conselhos de seus agentes, principalmente Adrian Ruocco, está proibido de falar sobre o eventual interesse do Chelsea e a crise no Corinthians – entenda-se a saída do técnico Antônio Lopes.

Enquanto os companheiros se concentravam em Águas de Lindóia, Tevez, recuperando-se de contusão no joelho direito, estava num estúdio na Vila Mariana, ontem pela manhã, gravando vinhetas da Copa Toon (espécie de Copa do Mundo virtual para crianças), do canal de desenhos animados Cartoon Network. O programa vai ao ar dia 24 de abril em toda América Latina e terá a participação de Ronaldinho Gaúcho e do mexicano Borghetti.

No estúdio, bem à vontade no meio de vários compatriotas, o argentino esbanjou simpatia e arrancou boas gargalhadas pelas caretas, falhas nos textos e interpretação da cumbia.

Após duas horas de trabalho duro, Tevez disse ter ficado com a certeza de que jogar bola é bem mais fácil que ser estrela de tevê. Depois atendeu à imprensa para falar da experiência. "Foi divertido, lindo", afirmou, rindo, após ver seu desempenho no vídeo. Só reprovou a atuação na cumbia. "Com muita gente olhando é estranho. Prefiro no campo." O papo estava descontraído, até surgir a pergunta da proposta do Chelsea. O jogador ficou constrangido e o representante, irritado. Acabou na hora com a entrevista e o tirou do estúdio. Antes, Ruocco havia confirmado para hoje a viagem do atleta à Argentina, onde será avaliado por médicos da seleção. Volta no domingo e, à noite, junta-se ao time em Águas de Lindóia.

Tevez não sabe, porém, se participará do importante jogo de quarta-feira, pela Libertadores, contra o Tigres. "Meu joelho ainda dói muito", reclama. Isso ficou claro nos momentos em que tentava dominar a bola no estúdio. Deixou-a escapar várias vezes do controle. Mas está ciente de uma coisa: "Preciso jogar mais pelo Corinthians, muito mais." Tudo para convencer o técnico José Pekerman de que tem condições de defender a Argentina na Copa do Mundo.