A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle poderá votar nesta manhã, entre outras matérias, requerimento para que o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, preste esclarecimentos sobre denúncias de recebimento ilegal de recursos no exterior. O autor do requerimento, deputado Paulo Bauer (PSDB-SC), lembra que as denúncias foram divulgadas pela Folha de S.Paulo no último dia 12, em reportagem intitulada "Ex-cliente liga Márcio Thomaz Bastos a conta no exterior".

Na reportagem, o empresário Ivo Morganti Jr. diz que pagou 4 milhões de dólares (R$ 9 milhões) de honorários a Thomaz Bastos em 1993, por meio de remessa ao exterior. O empresário e sua mãe, Maria Dirce, foram defendidos por Bastos nas décadas 80 e 90 em inquérito que os acusava de participação no assassinato do patriarca da família, Ivo Morganti.

Segundo o jornal, a Polícia Federal (PF) abriu investigação em 2003 e arquivou o caso no ano seguinte, sem que a transação tivesse sido rastreada e sem pedir a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico dos citados. O ministro, que negou ter recebido o dinheiro, não foi interrogado pela PF nem pelo Supremo Tribunal Federal (STF).