“É segredo!” Esse é o enredo da Unidos da Tijuca para o Carnaval 2010 e também a frase que está na ponta da língua do carnavalesco da escola, Paulo Barros, quando alguém pergunta sobre o desfile deste ano. “Se contar, o tema fica banalizado antes mesmo da escola entrar na Sapucaí”, argumenta.

A ideia de levar para a avenida os grandes segredos da humanidade surgiu no site de relacionamentos Orkut, sugerido por um adolescente. A proposta é despertar a curiosidade e fazer uma brincadeira com o público. Na Sapucaí, ele aposta em ilusionismo para surpreender. “O mistério paira nesse universo do Carnaval.” Também é mistério a fantasia da rainha de Bateria da escola, a apresentadora Adriane Galisteu.

Paulo Barros chegou a pedir para sua equipe e a comunidade guardarem segredo sobre detalhes do desfile. Na Cidade do Samba, onde é possível visitar os centros de produção das escolas antes do desfile na Sapucaí, os carros alegóricos estão expostos, mas ele garante que isso não estraga a surpresa: “Ver não revela”. Isso porque Paulo é conhecido pelos chamados “carros humanos”, em que a atuação dos passistas se mistura com a arquitetura da alegoria, como no famoso carro do DNA, que deu o título de vice-campeã à Unidos da Tijuca em 2004. Os temas ousados fazem parte do currículo de Paulo, que em 2008, na Viradouro, falou sobre o arrepio.

A Unidos da Tijuca será a terceira a entrar na Sapucaí no primeiro dia de desfiles do Carnaval carioca. Apesar da Liga das Escolas de Samba (Liesa) permitir que as agremiações entrem na avenida com até oito carros alegóricos, Paulo optou por um desfile com seis carros e cerca de 3,2 mil integrantes. A escola mantém em segredo os gastos com o desfile deste ano.

A escola amargura um jejum de títulos desde 1936. No ano passado, com o enredo “Tijuca 2009: uma odisseia sobre o espaço”, ficou em nono lugar.

Confira a letra do samba-enredo da escola da Tijuca:

Desvendar esse mistério

é caso sério, quem se arrisca a procurar

o desconhecido, no tempo perdido

aquele pergaminho milenar

são cinzas na poeira da memória

e brincam com a imaginação

Unidos da Tijuca, não é segredo eu amar você

decifrar, isso eu não sei dizer

são coisas do meu coração

Eu quero ver esse lugar

que o próprio tempo acabou de esquecer

meu Deus, por onde vou procurar

será que alguém pode me responder

Quem some na multidão

esconde a sua verdade

imaginação, o herói jamais revela a identidade

será o mascarado

nesse bailado um folião?

A senha, o segredo da vida

a chave perdida é o “x” da questão

cuidado, o que se vê pode não ser… Será?

Ao entender é melhor revelar

no sonho do meu carnaval

pare pra pensar, vai se transformar

ou esconder até o final?

É segredo, não conto a ninguém

sou Tijuca, vou além

o seu olhar, vou iludir

a tentação é descobrir