Termina dentro de 40 dias a construção da trincheira que liga os bairros Jardim Menino Deus, em Quatro Barras, e Jardim Paulista, em Campina Grande do Sul, sob a BR-116, na Região Metropolitana de Curitiba. Com a obra, de R$ 4,34 milhões, os pedestres passam a ter mais segurança, a circulação de ônibus será facilitada e haverá economia de tempo e de combustíveis para os motoristas. A obra é realizada Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Urbano (Sedu) e da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), e faz parte do Programa Integrado de Transportes (PIT).

Segundo o secretário Forte Netto, a trincheira vai melhorar a qualidade do transporte coletivo na região, garantindo rapidez e segurança no serviço. ?Também significa segurança para os pedestres que hoje se arriscam muito para atravessar as duas pistas da rodovia?, completa. Para os motoristas, a economia será de cerca de quatro quilômetros em cada viagem. ?Não haverá mais necessidade de ir até o trevo Quatro Barras/Campina Grande do Sul para fazer o retorno e voltar até Jardim Paulista, usando a pista contrária da BR?, explica o diretor presidente da Comec, Alcidino Bittencourt Pereira.

Mudanças

A trincheira terá 17 metros de largura e 30 metros de extensão, além de 2.470 metros quadrados de calçadas. A obra terá, ainda, 19.420 metros quadrados de pavimento em concreto asfáltico (material mais resistente ao tráfego de veículos pesados), bem como sinalização horizontal. De acordo com a Comec, neste fim de semana, a BR-116 voltará a ter trânsito normal em suas duas pistas. Desde o início dos trabalhos, o tráfego de veículos no local da obra vinha sendo feito em apenas uma das pistas.

Em função da trincheira, quatro linhas de ônibus urbanos que passam pela BR-116 terão seus itinerários ligeiramente alterados Com a construção de vias marginais, os ônibus terão pontos de embarque e desembarque de passageiros nas calçadas, longe do movimento de caminhões e veículos que é intenso nesse trecho da rodovia. Hoje, os ônibus param nos acostamentos da estrada, o que representa risco para os usuários do serviço.