O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou ontem à noite que o governador de Roraima, Flamarion Portela (sem partido), deixe imediatamente o cargo. Flamarion foi cassado em agosto pelo TSE, mas permanece no comando do Executivo estadual graças a uma liminar. Minutos após o julgamento de ontem no TSE, um dos advogados do governador, Tarcísio Carvalho, disse que vai recorrer em breve ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar reverter o quadro desfavorável a seu cliente. Caso não seja obtida nenhuma liminar para suspender a execução da decisão, o governo de Roraima deverá ser assumido por Ottomar Pinto (PTB).

Na ação que resultou na cassação, proposta pelo candidato derrotado na eleição de 2002, Ottomar Pinto, Flamarion era acusado de envolvimento em irregularidades na campanha à reeleição. Entre elas, o governador teria supostamente tirado proveito de programas de caráter social para captar votos em 2002.

Ontem, ao determinar a saída imediata do governador do posto, os ministros do TSE atenderam a um pedido de Ottomar Pinto. O tribunal também determinou que Ottomar seja diplomado imediatamente para exercer o cargo de governador de Roraima.