O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebeu 134 recursos contra indeferimento ou deferimento de candidaturas nos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) em 11 estados e no Distrito Federal desde sexta-feira.

As razões para os recursos, de acordo com o TSE, são ausência de documentos indispensáveis, inobservância do prazo de desincompatibilização, duplicidade de filiação partidária, inobservância do prazo para filiação, contas rejeitadas ou não apresentadas e ausência de quitação com a Justiça. Os recursos devem ser protocolados pelos candidatos, adversários ou pelo Ministério Público nos respectivos TREs para que depois sejam enviados ao TSE. O Ministério Público Eleitoral (MPE) recorreu em 54 casos de candidaturas aprovadas pela Justiça Eleitoral nos Estados.

São Paulo foi o Estado de onde mais chegaram recursos ao TSE. De lá vieram 44 pedidos entre terça-feira e hoje. Com 10 pedidos cada um, os Estados do Rio de Janeiro e de Tocantins ocupam juntos a segunda colocação. Em terceiro, aparece Sergipe, com seis recursos.

Segundo levantamento do TSE, constam ainda dois recursos apresentados por cada um dos seguintes Estados: Mato Grosso, Pará e Goiás. Cinco Estados apresentaram apenas um recurso nesses dois dias: DF, MG, PI, TO, AL. Pelo calendário eleitoral, o Tribunal tem prazo até o dia 20 de setembro para julgar todos os recursos contra aprovações e rejeições de registros de candidaturas nos TREs de todo o país.