A juíza auxiliar do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) da Paraíba, Mônica Figueiredo, acatou pedido feito pelo candidato do PSDB ao governo da Paraíba, Cássio Cunha Lima, e determinou, hoje, a suspensão da programação da TV Correio, afiliada à Rede Record de Televisão, pelo período de por 48 horas.

A emissora foi retirada do ar às 10h de hoje e só retornará às 10h de amanhã. No primeiro turno, a TV Correio foi retirada do ar por 48 horas, por decisão da mesma juíza, que acatou pedido da então candidata do PSB, Ana Mangueira, que não foi convidada para participar de um debate.

Segundo a juíza, a TV Correio estaria contemplando o candidato do PMDB, Roberto Paulino, em detrimento do tucano. A editora da TV, Ruth Avelino, negou que e emissora esteja fazendo jornalismo tendencioso. Segundo ela, Cunha Lima não aceita convites para ser entrevistado.

O superintendente da emissora, Alexandre Jubert, disse que esperava o mesmo tratamento que recebeu a TV Cabo Branco, afiliada à Rede Globo, na semana passada, que foi acusada por Paulino de estar contemplando Cunha Lima. Jubert lembra que a Cabo Branco não foi punida, porque teve direito a um efeito suspensivo à decisão, o que permitiu ao TRE se pronunciar, evitando a decisão monocrática de um juiz.

“A retirada da TV Correio do ar foi uma decisão dura, que não permitiu à empresa se defender”, declarou o superintendente da emissora. Hoje mesmo a empresa recorreu ao TRE da decisão de Mônica Figueiredo.