O ministro das Comunicações, Hélio Costa, disse ontem que a TV do Executivo, proposta por ele na semana passada, não é uma TV estatal. ?Absolutamente não. TV estatal é o que o Chávez faz?, disse, referindo-se ao presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que tem liderado movimento de estatização das redes de TV naquele país.

?TV estatal é o que se faz em Cuba; é o que se fazia na Polônia e na antiga União Soviética. E eu estive em todos esses lugares para saber perfeitamente a diferença entre estatal e pública?, disse o ministro, em entrevista sobre a implantação do rádio digital no País.

Desde a semana passada, quando apresentou ao presidente Lula projeto de criação de rede nacional de TV pública, começou a discussão sobre a diferença entre TV pública, voltada para a sociedade, e TV estatal, exclusiva para promover o governo.

?O que nós estamos fazendo é apresentar proposta que estará em discussão, primeiro na Casa Civil, e que será levada ao presidente da República?, disse Costa, ressaltando que esse debate deve passar pelo Congresso. ?Não tem ninguém querendo fazer TV estatal, nem culto à personalidade.?

Ele lembrou que a criação do canal do Executivo já está prevista no decreto de implantação da TV digital, editado no ano passado, juntamente com os canais da Cultura, da Educação e da Cidadania. ?Estou fazendo uma proposta honesta, dizendo: ?Temos espaço para fazer redes públicas de TV que podem atender à educação, à cultura e à comunidade?. E de repente parece que estamos propondo uma coisa totalmente do outro mundo?, lamentou, assegurando que pretende utilizar a estrutura da Radiobrás.

Reacendendo divergência antiga com o ministro da Cultura, Gilberto Gil, Costa aproveitou a discussão da TV pública para alfinetar a Cultura, cujos principais técnicos têm restrições à sua proposta de TV do Executivo. O ministro disse que, ao sugerir a rede pública, não abordou o conteúdo do canal.

?Não disse se é para mostrar a cara do presidente, o programa A ou B?, afirmou. ?Quem se intitula em querer falar de TV pública, e eu não sei quem lhe deu essa delegação, é o Ministério da Cultura. Fique com eles. Estou passando de papel passado. Por favor, quando quiser falar de TV pública agora pergunte ao ministro Gilberto Gil, não é comigo mais.?

Há um ano, os dois ministros protagonizaram discussão pública. Gil leu um cordel no qual Costa foi chamado de boçal, durante aula inaugural na Universidade Federal do Rio de Janeiro. O ministro das Comunicações reagiu irado, dizendo entender por que os amigos de Gil o chamavam de ?Gilberto Vil?. O cordel criticava a atuação de Costa no processo de discussão da TV digital.