Numa solenidade realizada, ontem (14), no auditório do Núcleo de Pesquisas em Limnologia, Ictiologia e Aqüicultura (Nupélia), da Universidade Estadual de Maringá, foi lançada a Plataforma Lattes UEM.

Trata-se de um sistema informatizado para a coleta dos currículos eletrônicos dos professores, pesquisadores, estudantes e funcionários da instituição, visando promover a divulgação da produção intelectual e das atividades profissionais da comunidade acadêmica da UEM.

Este banco de dados será a versão da UEM para o conjunto de sistemas computacionais oferecidos pela Plataforma Lattes Institucional do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) junto às instituições de ensino e pesquisa.

Com a plataforma, quando informar a produção científica ao sistema CV-Lattes, o pesquisador da UEM estará automaticamente atualizando seu Currículo Lattes no CNPq e na universidade. Isso permitirá à UEM conhecer suas atividades e divulgá-las de maneira sempre atualizada.

O pró-reitor de Pesquisa e Pó-graduação da UEM, Gilberto Cezar Pavanelli, lembrou que a Universidade Estadual de Maringá é uma das instituições de ensino superior do País com maior projeção na área de pesquisa e de pós-graduação.

No entanto, segundo ele, faltava o processo de gerenciamento da produção científica da UEM. “A UEM fará parte da base mais importante do País”, afirmou, referindo-se à Plataforma Lattes. Pavanelli disse, ainda, que o processo para o lançamento da base na UEM teve início em outubro de 2000, por meio do contato com o Grupo Stela, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

A professora da UEM, Tania Calvi Tait, secretária municipal extraordinária de modernização administrativa, enfatizou a importância de o projeto ter sido iniciado no setor público. Ela afirmou que a prefeitura tem buscado e está aberta à parcerias com a universidade.

A reitora Neusa Altoé disse que a UEM, apesar de jovem, tem obtido grandes conquistas. Desde 1999, quando foi lançado o Projeto Lattes do CNPq, a Universidade Estadual de Maringá já demonstrava interesse em inserir a instituição no sistema. Segundo ela, a partir do próximo dia 16 de setembro, a comunidade universitária da UEM vai poder utilizar a plataforma.

A solenidade contou com as presenças do coordenador Grupo Stela, da UFSC, Roberto Pacheco; e do coordenador geral de Informática do CNPq, Paulo Henrique Santana.

Santana informou que a Plataforma Lattes Institucional do CNPq já está presente em vários países da América Latina e da Europa. Na palestra, ele falou sobre as articulações do CNPq para disseminar a base de dados internacionalmente.

Pacheco, idealizador do projeto, disse que o sistema vai facilitar muito a vida dos pesquisadores. A solenidade reuniu também pesquisadores, professores, alunos e técnico-administrativos da UEM.