Brasília ? Cerca de 700 estudantes de 67 universidades públicas e privadas de 20 estados brasileiros chegam hoje (4) a Manaus para participar do Projeto Rondon. Até o dia 19, os estudantes participam de atividades nas áreas de infra-estrutura e gestão pública, como a elaboração de projetos de saneamento básico e meio ambiente, em mais de 40 municípios carentes da região.

Amanhã (4), o governador do Amazonas, Carlos Eduardo de Souza Braga, e o coordenador-geral do projeto, general de divisão Gilberto Arantes Barbosa, abrem oficialmente a Operação Amazônia 2006.

A primeira missão do Projeto Rondon, chamada de Operação Zero, foi feita em 11 de julho de 1967 e contou com a participação de 30 estudantes e dois professores. O grupo ficou 28 dias em Rondônia e fez trabalhos de levantamento, pesquisa e assistência médica. Inspirado na atuação do bandeirante Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon, o projeto teve como lema "Integrar para não entregar". No ano seguinte, o projeto foi expandido para outras áreas da Amazônia e para o Mato Grosso e contou com a participação de 648 jovens.

O projeto, depois transformado em Fundação Projeto Rondon, levou ações de cidadania e desenvolvimento para comunidades carentes da região norte até 1989. Após 16 anos desativado, foi retomado em 2005 pelo governo federal numa parceria com o Ministério da Educação.