O serviço de táxis em Curitiba é organizado e fiscalizado pela URBS, que realiza vistorias semestrais em cada um dos 2.253 veículos da frota da cidade para garantir a segurança no transporte de passageiros. Além do trabalho de acompanhamento de rotina, os veículos também podem ser convocados para vistorias especiais quando é recebida alguma denúncia ou reclamação.

Todos os itens de segurança dos táxis são verificados. Cintos de segurança, pneus, amortecedores, extintor de incêndio, triângulo e toda a caracterização do veículo, que precisa respeitar as cores e os sinais de identificação determinados pela administração municipal. O funcionamento do taxímetro também é vistoriado para garantir que o preço da corrida seja justo para o passageiro e para o motorista.

O acompanhamento rigoroso garante a qualidade do serviço. "Temos a colaboração dos profissionais taxistas, que estão sempre atentos à conservação dos veículos e fazem questão de prestar um bom serviço", explica o gerente da área de táxis da URBS, José Carlos Pereira. Ele destaca que as regras da URBS estabelecem uma idade máxima de oito anos para os carros, mas a média dos veículos em circulação é de seis anos, e quase a totalidade deles tem quatro portas.

Para saber se o carro está de acordo com as condições estabelecidas pela URBS, o usuário pode verificar o selo de verificação do carro, que deve estar colado no canto superior direito do pára-brisa dianteiro. O documento mostra todos os dados do veículo e o prazo de validade da vistoria.

Números

A cidade tem nove centrais de rádio-táxi que levam carros onde o passageiro estiver. Elas têm, em média, 20 anos de funcionamento, e recebem 400 mil chamadas telefônicas por mês. Curitiba também tem 394 pontos fixos de táxi, onde os motoristas esperam pelo embarque. O preço da bandeirada inicial é de R$ 3,20, e o quilômetro roradocusta R$ 1,40 na bandeira 1 e R$ 1,80 na bandeira 2.

O cadastro da URBS tem quase 5 mil motoristas de táxi, entre permissionários (os próprietários do veículo), condutores colaboradores do permissionário e empregados de empresas de táxi. Todos passam por uma intensa preparação. Para ser motorista é preciso ter uma habilitação específica que é o certificado cadastral de condutor. Eles passam por um curso feito pela Senac, em parceria com a Urbs, com duração de 54 horas. Eles são orientados sobre direção defensiva, primeiros socorros, informações turísticas e sobre comunicação e atendimento ao passageiro.