O Brasil é um dos países que mais usam agrotóxicos nas lavouras, o que repercute negativamente na qualidade dos alimentos, saúde dos consumidores e trabalhadores rurais e meio ambiente. De acordo com documento sobre Indicadores de Desenvolvimento Sustentável divulgado pelo IBGE, entre 1997 e 2000 a quantidade de defensivos nas culturas aumentou 21,6%, de uma média de 2,27kg/hectare para 2,76kg/ha.

Alternativas para os agrotóxicos existem ? consistem no manejo integrado, controle biológico de pragas e defensivos naturais, entre eles, um a base de um subproduto da mandioca, a manipuera, desenvolvida pelo presidente da Academia Cearense de Ciências (Aceci), professor José Júlio da Ponte. Outra opção é o cultivo hidropônico, cujas condições de produção evitam ou até eliminam a necessidade do produto.

As ações para minimizar os malefícios dos defensivos ganharam ainda impulso com a Lei 7994/00, que encarrega as indústrias da destinação final das embalagens de agrotóxicos, evitando, entre outros, a contaminação do meio ambiente.