Curitiba encerrou nesta sexta-feira a campanha nacional de vacinação contra a pólio e o sarampo, seguindo a recomendação do Ministério da Saúde. Até quinta-feira, tinham sido vacinadas contra a poliomielite 118.012 crianças, uma cobertura vacinal de 87%, e contra o sarampo, 95.221, o equivalente também a 87% da meta estabelecida para a campanha (95%).

A perspectiva, mantendo a média de vacinação desta semana, é que a cobertura vacinal no município chegue a 90%, contando as doses aplicadas no último dia da campanha. A meta da campanha em Curitiba era vacinar contra a pólio 136.069 crianças até 4 anos e 109.698 com a tríplice viral – sarampo, coqueluche e rubéola – na faixa de 1 a 4 anos.

Os números na capital são muito bons, bastante próximos da meta, considerando os fatores que dificultaram a vacinação, como o tempo prolongado da campanha”, avalia a diretora do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde, médica Karin Luhm. “A comunidade não está acostumada a campanhas mais longas”, acrescentou.

Esta é a 24ª campanha nacional contra a pólio. O último caso da doença em Curitiba foi notificado em 1985. Para manter a doença erradicada, é preciso manter altas coberturas vacinais, através da vacinação de rotina e de campanhas nacionais. A pólio ainda está presente na Ásia e Índia. Por causa do crescente fluxo de viajantes, permanece o risco de reintrodução da doença no país.

Sarampo

Em 2000, o Ministério da Saúde lançou o “Plano de Eliminação do Sarampo”, com reforço na vigilância de casos suspeitos, garantia de cobertura vacinal de rotina e campanhas de seguimento adequadas. O último caso autóctone ocorreu em outubro de 2000. Curitiba segue a tendência nacional, porém numa incidência menor e com interrupção precoce da doença, já em 1998.