Em 2004, o Valor Bruto da Produção agropecuária do Paraná (VBP) foi de R$ 29,28 bilhões. Em valores nominais, esse montante representa um crescimento de 4,4% em relação ao ano anterior.

Em valores reais, a variação foi negativa: -5,2%. Estas informações foram divulgadas pelo vice-governador e secretário da Agricultura, Orlando Pessuti, nesta sexta-feira, em Cascavel durante o Seminário ?Conservação de Solos e Água no Paraná?.

Segundo Pessuti, ao comparar a evolução do VBP desde 1997, o Valor apresenta um ganho real de 85,6%. ?Este bom desempenho é uma conseqüência não apenas da variação de área, produtividade e preços, mas também da diversidade da base de produção?, comentou.

De acordo com o levantamento do Departamento de Economia Rural (Deral), a renda bruta estimada no setor agropecuário, para 2005, é de R$ 24 bilhões. ?A redução desta estimativa decorre da estiagem que afetou a Safra 2004/05?, disse.

Com R$ 698 milhões, o município de Toledo mantém-se na liderança e apresenta a maior renda bruta da agropecuária do Estado. Essa renda representa 2,38% de todo o valor bruto do Paraná. Na segunda posição do ranking, está Cascavel. A arrecadação do município foi de R$ 502 milhões (1,72%), seguido por Castro, com R$ 495 milhões (1,69%). Estes três municípios mantêm-se na liderança há mais de uma década.

Segundo a responsável pelo cálculo do VBP no Paraná, Gilka Cardoso Andretta, do Deral, historicamente, Pinhais é o município com o menor valor bruto. Em 2004, obteve R$ 1,33 milhão. Cerca de 10% dos 399 municípios do Estado geraram uma renda bruta de R$ 9,35 bilhões, o que corresponde a 32% da arrecadação estadual. Já o restante dos municípios representa R$ 19,93 bilhões, ou seja, 68% da arrecadação.

?Em valores reais, constatamos que houve um bom desempenho dos municípios. Isto devido a um maior volume produzido de commodities e considerável aumento na diversificação do setor produtivo?, disse Andretta.

A análise do Deral comprova que subiu para sete o número de municípios que obtiveram uma renda bruta acima de R$ 300 milhões. Além dos três que mantêm a posição de liderança, Londrina, Dois Vizinhos e Tibagi também superaram aquele valor.

?Em 1997, apenas dois municípios do Estado tiveram uma renda bruta superior a R$ 300 milhões?, lembrou. Segundo ela, naquele ano, 296 municípios arrecadaram menos de R$ 50 milhões. ?No ano passado, aquele número caiu para 184 municípios, o que significa uma melhor distribuição do VBP no Paraná?, afirmou.

A Secretaria da Agricultura atua em todo o Estado por meio de 20 Núcleos Regionais. Em 2004, o Núcleo de Ponta Grossa apresentou a maior participação do VBP, com R$ 3,05 bilhões. Em seguida, destacaram-se os Núcleos de Cascavel, com R$ 2,89 bilhões, e Francisco Beltrão, com R$ 2,62 bilhões.

Culturas

De acordo com o levantamento do Deral, o grupo das principais culturas representa 50% do VBP do Estado, ou seja, R$ 14,7 bilhões. Em relação a 1997, este grupo obteve um ganho real de 75%.

Os grãos de verão, como soja, milho, café, feijão e arroz, apresentam uma renda bruta de R$ 11,3 bilhões. Já a renda de outras culturas de verão, como cana-de-açúcar, mandioca e fumo, soma R$ 2 bilhões. Quanto aos grãos de inverno, como trigo, aveia e cevada, a renda bruta é de R$ 1,3 bilhão.

A pecuária participa com 35% do VBP. A produção de frango representa, por exemplo, representa 9,87% e a de suíno, 4,79%. O segmento leite é responsável por 3,90% do VBP pecuário.

?O corte acentuado das madeiras, em geral, fez com que o grupo de produtos florestais apresentasse um crescimento de 143% em relação a 1997?, disse a responsável pelo cálculo do VBP.

As frutas tiveram participação de 2%. Já as hortaliças, de 3%. ?Comparado a 1997, as frutas obtiveram ganhos reais de 35%. E as hortaliças, de 56%?, comentou Andretta.

Apesar da floricultura ter a menor participação no VBP do Estado, o ganho real do segmento cresceu 290% em relação a 1997.

Andretta destacou que o levantamento da produção agropecuária municipal é essencial para a execução de políticas públicas em prol dos municípios. Segundo ela, o cálculo do VBP agropecuário é fundamental na composição dos índices para o Fundo de Participação dos Municípios (FPM), na distribuição do ICMS arrecadado. ?Considerando que a economia da maioria dos municípios paranaenses depende da agropecuária, este valor é bastante significativo?, concluiu.