O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) ainda não colocou nem um centavo na Varig. Segundo um dos integrantes do conselho curador da FRB-Par (Fundação Ruben Berta) -controladora da Varig-, alguns credores, como o Banco do Brasil e BR Distribuidora, deixaram de receber parte do que deveriam da companhia aérea.

A decisão de não pagar a totalidade dos débitos com os credores teria sido tomada pelo novo presidente da Varig, Roberto Macedo. “Ele teria resolvido colocar no mesmo patamar todos os credores, inclusive os funcionários”, disse um dos integrantes do conselho curador.

Dessa forma, as estatais deixaram de receber uma parte do que deveriam da Varig. Em compensação, a empresa conseguiu pagar o décimo terceiro salário e o saldo de março dos salários em atraso de todos os funcionários.

“Ele [Macedo] tomou a decisão corajosa de suspender o pagamento integral dos credores e que já deveria ter sido tomada pelos outros presidentes da Varig e comunicou ao ministro[José Viegas]. Foi uma forma de prestigiar os funcionários, que estão trabalhando sem receber seus salários e também são credores da empresa”, disse o presidente do Sindicato Nacional dos Aeroviários do Rio Grande do Sul, Celso Klafke.