O Vaticano se diz interessado na iniciativa do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de criar uma Ação Mundial contra a Pobreza e a Fome. O secretário de Estado do Vaticano e principal assessor do Papa João Paulo II, cardeal Ângelo Sodano, participa nesta tarde do encontro em Nova York que deve reunir, além do presidente Lula, outros líderes mundiais, como o presidente da França, Jacques Chirac, e o premiê espanhol, José Luis Rodriguez Zapatero, com o objetivo de debater o tema.

De acordo com nota divulgada neste fim de semana pelo porta-voz do Vaticano, Joaquín Navarro-Valls, o cardeal Sodano recebeu “com interesse” a ação ?promovida pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva?, em acordo com o secretário-geral da ONU, Kofi Annan, e vários chefes de Estado e governo de organizações internacionais?. A nota foi divulgada no jornal ?L`Osservatore Romano?.

De acordo com a edição deste domingo do jornal, a participação do cardeal reafirma o compromisso da instância máxima da Igreja Católica ?de desarraigar o autêntico flagelo da fome, que mina a vida e a dignidade das pessoas que sofrem por causa da pobreza?. O jornal disse, ainda, que a Igreja Católica ?está disposta a apoiar a iniciativa de quem trabalha para oferecer a todos os homens o pão cotidiano?.

Reconhecimento

Para o assessor especial da Presidência da República, Frei Betto, a ida do secretário é o ?reconhecimento da proposta do presidente Lula?, além de mostrar que a iniciativa coincide com o ideais pregados pelo papa João Paulo II no combate à miséria.

Segundo Frei Betto, as propostas do governo brasileiro para o combate à fome foram apresentadas ao Vaticano em agosto, por meio de do chefe de gabinete do presidente Lula, Gilberto Carvalho. O assessor destacou, ainda, que a Igreja Católica tem sido uma importante parceira na elaboração das políticas pelo fim da fome. E lembrou o fato de a Confederação Nacional dos Bispos de Brasil (CNBB) promover, anualmente, o Mutirão Nacional para a Superação da Fome e da Miséria.