Rio de Janeiro – As exportações em 2005, utilizando o serviço Exporta Fácil, dos Correios, somaram R$ 46 milhões, com destino a 122 países. Desses, os mais importantes foram os Estados Unidos, Japão, Portugal, Chile, Inglaterra, França, Alemanha, Argentina, Espanha, Peru, Itália, Equador e Suíça, que responderam por 80,78% do número de embarques e 87,13% do valor exportado. Embora os números referentes a 2006 ainda não tenham sido oficialmente fechados, o coordenador de Negócios da Diretoria Regional dos Correios no Rio de Janeiro, Ricardo Mota estima que a taxa média de crescimento das exportações pelo Exporta Fácil tenha alcançado 9% sobre o ano anterior.

As remessas no Exporta Fácil são de três tipos: expressa (indicada para o exportador que tem urgência na entrega); prioritária (para o exportador que busca equilíbrio entre preço e prazo) e econômica (indicada para o exportador que busca o menor preço).

Mota explicou que as remessas estão limitadas a 30 quilos na maioria dos países, dependendo da modalidade da remessa que se quer fazer. O valor máximo por exportação atinge US$ 20 mil.

Mota informou que a entrada em funcionamento do Sedex Mundi, novo produto do Exporta Fácil, no qual os Correios assumem a responsabilidade pelo prazo de captação e transporte da mercadoria do Brasil até o mercado de destino, poderá contribuir para que as operações cresçam em torno de 11% este ano.