O vereador de Curitiba Paulo Frote (PSC) foi preso hoje, quando chegava em sua residência, no Pilarzinho, por policiais do Grupo Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gerco). A prisão preventiva foi requerida na última terça-feira, pela Promotoria de Justiça de Proteção ao Patrimônio Público, e decretada hoje pelo juiz da Central de Inquéritos, Marcelo Ferreira. O Ministério Público acusa Frote pelos crimes de concussão e peculato, a partir de investigações iniciadas em março de 2000.

Segundo o órgão, ele teria desviado parte dos salários de servidores de seu gabinete na Câmara Municipal. Em relatório parcial de auditoria em pedido de quebra de sigilo bancário, foram constatadas 67 transferências de contas de servidores para contas em nome de Frote e de sua esposa. Há indícios de que o vereador tenha desviado cerca de R$ 1 milhão da Câmara. (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)