Uma viatura da Polícia Militar (PM) capotou na tarde deste domingo (12) após colidir com um veículo na Rua Pastor Antônio Polito, no Boqueirão, em Curitiba, bem na esquina com a Avenida Marechal Floriano Peixoto. Ninguém morreu, mas dois policiais precisaram ser atendidos por socorristas. Um deles foi encaminhado para o hospital de helicóptero. No outro veiculo, um carro modelo Cruze, estavam duas mulheres, a motorista, de 36 anos, e a babá dos filhos dela, de 64 anos. As duas tinham acabado de sair de um almoço do Dia das Mães. O acidente ocorreu por volta das 15h15.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

No local, a PM não comentou o acidente. Já os familiares da motorista do Cruze relataram que ela e a babá estavam paradas no semáforo da Marechal Floriano. As duas iriam buscar os filhos da motorista, que estavam com o pai. “O sinal abriu para nós e, quando arrancamos, o carro da polícia bateu na gente e capotou na esquina. Nosso carro foi jogado para o lado, estourando os airbags”, disse a babá. O almoço do Dia das Mães foi na casa de uma tia da motorista, a cerca de 200 metros do local do acidente.

+Leia mais: Ciclista encontra mulher morta na beira da rodovia

A tia explicou que os policiais vinham pela Pastor Antônio Polito, pela faixa exclusiva de ônibus, no sentido Parque Náutico, e teriam cruzado o sinal vermelho. Segundo ela, a viatura teria capotado com o impacto da batida, por causa da velocidade excessiva. Nem sirene, nem giroflex estariam ligado. “Um dos policiais saiu fora do carro, provavelmente sem cinto de segurança”, apontou.

Outros membros da família também contaram que o helicóptero de resgate foi acionado para atender os policiais. A aeronave pousou na Marechal e encaminhou um dos PMs para o hospital. O outro foi encaminhado para atendimento de ambulância. A babá estava com dores na região do tórax, mas não precisou ir até o hospital. A motorista, que, segundo a família, faz tratamento para câncer de mama, teve ferimentos na região do nariz. Ambos os familiares da motorista do Cruze reclamaram do atendimento dos socorristas, que teriam deixado em segundo plano os cuidados com as duas mulheres e se preocupado mais com os policiais.

A esquina do acidente foi isolada pela PM. Havia, no local, pelo menos cinco viaturas e um contingente de mais de dez homens para auxiliar no atendimento da ocorrência. O grande efetivo chamava a atenção dos populares que acompanhavam a movimentação por ali.

Até o fechamento da matéria, a reportagem ainda aguardava o posicionamento oficial da PM sobre o acidente. Os principais questionamentos foram sobre a possível alta velocidade da viatura, um possível avanço no sinal vermelho e sobre a informação de que um dos policiais estaria sem cinto de segurança.

Ladrão invade casa de PM, tenta ferir sargento com uma faca, mas acaba morto a tiros