O vice-presidente do PT no Distrito Federal, Raimundo Ferreira da Silva Júnior, afirmou em depoimento na Polícia Federal que pegou um envelope com R$ 100 mil com um funcionário do Banco Rural e o entregou ao então tesoureiro do partido, Delúbio Soares. "Fui ao banco, peguei o envelope e o entreguei a Delúbio. Fiz isso porque sou amigo dele. Eu não usei caixa 2", disse Raimundo Júnior.

Ele disse que vai processar a gerente financeira da agência SMP&B, Simone Vasconcelos, que disse ter entregado ao dirigente petista outros dois envelopes. "Nunca me encontrei com ela e vou processá-la."

De acordo com lista entregue pelo empresário Marcos Valério à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios, Raimundo Júnior teria sacado R$ 370 mil no ano passado, em três diferentes ocasiões. Hoje de manhã, também em depoimento na Polícia Federal, o presidente do PT no Distrito Federal, Vilmar Lacerda, confirmou a existência de recursos não declarados à justiça eleitoral pelo partido.