Cerca de 1,5 mil trabalhadores vigilantes de transporte de valores vão entrar em greve a partir da zero hora de quinta-feira, por tempo indeterminado, em todo o Paraná. Com isto, o sindicato da categoria prevê que instituições financeiras fiquem sem dinheiro já a partir do início da paralisação. Outras empresas que necessitam deste transporte, como supermercados e lojas, também serão prejudicadas.

Durante as negociações em janeiro e no começo deste mês, os vigilantes pediram 20% de reajuste salarial, para repor as perdas nos últimos anos. Os trabalhadores também reivindicaram um aumento no adicional de risco de vida, de 20% para 30% do salário, a fim de equiparar o percentual com o eixo Rio-São Paulo.

As empresas do setor propuseram 0% de reajuste e mantiveram esta decisão desde o início das conversas, de acordo com o Sindicato dos Vigilantes de Curitiba e Região. (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)