Andar pelas ruas dos bairros anotando reivindicações e sugestões de moradores, empresários e líderes comunitários é uma atividade que entrou na rotina do administrador da Regional Boqueirão, Pablo Morbis. Diariamente, acompanhado por técnicos da Regional, Morbis percorre ruas do Alto Boqueirão, Boqueirão, Xaxim e Hauer.

A caminhada diária, afirma o administrador, tem um objetivo específico: aproximar a prefeitura do cidadão, uma das diretrizes da gestão do prefeito Beto Richa, e incentivar a população a utilizar os serviços oferecidos na Regional.

"A idéia é ter um contato direto com a comunidade, avaliar necessidades e problemas e discutir possíveis soluções. Se algum problema da comunidade não chega ao conhecimento da Administração Regional, é possível identificá-lo através de um contato mais direto, motivando as pessoas a participar das reuniões", afirma Pablo Morbis. "É conversando com quem mais conhece a realidade do bairro, que podemos identificar os problemas e priorizar as soluções", diz.

Foi o que aconteceu, por exemplo, com a iluminação da praça Alfredo Hauer, no bairro Hauer, uma reivindicação antiga mas que ainda não havia sido passada para a nova administração. "Conversando com a comunidade, descobrimos que a iluminação da praça era algo que os moradores reivindicavam há algum tempo. A praça fica perto de uma escola e foi possível, em pouco tempo, implantar a iluminação solicitada pelos moradores da região", conta o administrador.

Essa aproximação está mudando o perfil da região. "Hoje, os moradores da Regional Boqueirão participam mais ativamente das decisões tomadas na Regional. Aos poucos vai acabando a timidez, o morador vem para reuniões, reivindica, discute, debate soluções. Às vezes há um problema na rua e o morador não sabe que pode vir até a Regional para resolver. Isso já está mudando".

A mudança pode ser vista no dia a dia da regional. São cada vez mais freqüentes não só os pedidos de reunião e visitas de moradores para falar diretamente com o administrador, como os convites para que ele e os técnicos participem de reuniões para debater problemas e soluções da região, convocadas por associações de moradores, lideranças locais e igrejas.

A participação maior também pôde ser vista na reunião convocada no final de abril, para debater a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Mais de 200 moradores participaram ativamente, ajudando a decidir as ações para a região, que serão incluídas no orçamento da Prefeitura para o próximo ano. "Quando foi feito o convite para a audiência da LDO, a comunidade se organizou, ajudou a divulgar e compareceu em peso, batendo recorde de público nesse tipo de evento na Regional", afirma Pablo Morbis.

Cidadania

Curitiba tem atualmente nove administrações regionais, a mais nova delas, a CIC, foi inaugurada pelo prefeito Beto Richa em março deste ano. Da Regional Boqueirão fazem parte os bairros Boqueirão, Alto Boqueirão, Hauer e Xaxim, onde moram quase 200 mil pessoas.

A Regional funciona na Rua da Cidadania, a primeira da cidade, ao lado do terminal e da Praça Nossa Senhora do Carmo, onde ficam os núcleos das secretarias municipais que garantem atendimento ao cidadão sem que ele precise procurar diretamente a prefeitura.
Na Rua da Cidadania, implantada há dez anos, o cidadão encontra serviços municipais, estaduais e federais, comércio, cursos em diferentes áreas e atividades de esporte, cultura e lazer. Por mês, são feitos, em média, 150 mil atendimentos.

A Prefeitura mantém na Regional Boqueirão 19 creches, 21 escolas, 14 postos de saúde, quatro Liceus de Ofícios, Centro de Atividade, lar para meninas, três Armazéns da Família e três centros de esporte e lazer.

Originária de uma antiga fazenda de cerca de mil alqueires de terras úmidas e grandes banhados, a Região do Boqueirão traz na sua origem a extração de madeira e criação de gado. A Colônia Boqueirão foi implantada, a 12 quilômetros do centro da cidade, em 1933 por imigrantes russos menonitas. Vindos de Santa Catarina, eles deram uma grande contribuição ao desenvolvimento da cidade, implantando escolas, creches e hospital.

O trabalho dos pioneiros, que se dedicavam principalmente à criação de gado leiteiro, impulsionou o desenvolvimento da região que rapidamente ganhou vida própria, concentrando uma série de serviços e comércio, entre eles um verdadeiro pólo de malhas na cidade.

A Regional Boqueirão concentra, segundo o último censo do IBGE (2000) praticamente 20% das indústrias de Curitiba e em torno de 12% dos estabelecimentos comerciais.