A Telecheque constatou em agosto um aumento de 6,4% no volume de cheques devolvidos pela segunda vez por falta de fundos, na comparação com julho, quando o total de devolução superou em 2,12% o resultado de junho. Em relação a agosto do ano passado, a inadimplência com cheques revela uma queda de 3,5%. “O aumento da inadimplência de julho para agosto é uma tendência normal no varejo nesse período porque nessa época ainda estão sendo compensados os cheques pré-datados referentes às compras do Dia das Mães e do Dia dos Namorados”, afirma o vice-presidente da Telecheque, José Antônio Praxedes Neto.

O valor médio dos cheques emitidos este ano foi de R$ 103, acima dos R$ 90 verificado no ano passado. É preciso considerar, segundo Praxedes, que o varejo esticou o prazo de pagamento de 80 para 90 dias do ano passado para este ano. Segundo o vice-presidente da Telecheque, estes dois fatores contribuíram para o aumento da inadimplência.

“No entanto, notamos que o risco de julho para agosto deste ano caiu. Em julho de 2003 o índice de cheques devolvidos foi de 2,49%, passando para 2,12% em 2004. Em agosto do ano passado, foi de 2,34% e agora ficou na casa de 2,25%, o que nos leva a esperar uma boa performance para o segundo semestre, com índices abaixo dos de 2003”, afirma.