O presidente da Câmara dos Deputados, João Paulo Cunha (PT-SP), confirmou, há pouco, o adiamento para amanhã (27) da votação, em segundo turno, da reforma da Previdência. O quórum baixo e a obstrução do PSDB e do PFL foram os motivos que levaram a base do governo a deixar a votação para para amanhã.

Os partidos governistas querem encerrar, ainda hoje, a votação da reforma tributária na comissão especial. O presidente da comissão, Mussa Demes (PFL-PI), suspendeu a reunião, no fim da tarde, e convocou outra sessão para as 19h30min de hoje. Transferindo para amanhã a votação da reforma da Previdência, os líderes da oposição pretendem fortalecer as negociações em torno de mudanças na reforma tributária. Amanhã de manhã, o presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP), e o Colégio de Líderes reúnem-se com todos os governadores para avaliar mudanças no texto da reforma tributária.