Quatro pessoas morreram atropeladas na noite de quinta-feira. Em um dos acidentes, uma mulher teve o corpo dilacerado por vários carros, às 22h30, na PR-418 (Contorno Norte), na entrada para o Jardim Três Pinheiros, Botiatuvinha. Depois de atropelada, ela ficou caída no asfalto e outros veículos passaram pelo corpo, deixando um rastro de cerca de 50 metros.

Somente as mãos e os pés da vítima ficaram inteiros. Ela vestia calça fusô e blusa, ambas pretas, e no acostamento da rodovia foram encontrados um par de chinelos vermelhos e o pedaço de uma dentadura. Os bombeiros tiveram de recolher parte dos restos da vítima com uma pá para levar ao Instituto Médico Legal. Segundo a Polícia Militar, a vítima seria Cecília Machado Ribeiro, 63 anos, mas até o início da tarde de ontem o corpo não havia sido reconhecido oficialmente no IML.

Moradores do bairro, assustados com a cena, reclamavam da falta de segurança no local. “Aqui os veículos passam em alta velocidade, creio que cheguem a 180 km/h”, comentou o presidente da associação de moradores, Osni Rodrigues de Oliveira. Ele e outras pessoas disseram que tentavam avisar os veículos sobre o acidente, mas eles ignoravam os sinais e não diminuíam a velocidade. “É um absurdo, olhe como ficou o corpo”, reclamou Osni, mostrando o que restou da mulher.

Mais vítimas

Outras três pessoas morreram em rodovias diferentes na noite de quinta-feira. Gumercindo Martins, 64, pedalava uma bicicleta quando foi atingido pelo caminhão Mercedes-Benz 1113, placa AGD-8268, dirigido por Silvano Barbosa dos Santos, 26. O acidente ocorreu às 21h, no quilômetro 168 da BR-476 (Rodovia do Xisto), entre Araucária e Contenda. Waldomiro dos Santos, 21, foi atropelado às 21h10 no quilômetro 620 da BR-376, em São José dos Pinhais, e Valdomiro Rodrigues da Silva, 60, às 22h45, no quilômetro 65 da BR-277, bairro Roseira, no mesmo município. Todas as vítimas morreram na hora.