Chuniti Kawamura
Vítima morreu em um barraco, no Xaxim.

A Delegacia de Homicídios (DH) está investigando a misteriosa morte de Maria de Fátima Santos, 39 anos, ocorrida no início da manhã de ontem, no Xaxim. De acordo com Marcílio de Souza Rodrigues, 31, marido da vítima, ao acordar ele constatou que a esposa estava sem vida, deitada na cama, na casa onde moravam, na Rua Artur Euclides de Moura, Vila São Pedro. Porém, quando funcionários do Instituto Médico-Legal (IML) foram até a residência para recolher o corpo, verificaram que o rosto de Maria apresentava hematomas, além de dois cortes no supercílio e na testa. A polícia foi acionada e Marcilio, encaminhado à delegacia para prestar esclarecimentos sobre a morte da esposa.

O marido relatou, aos investigadores da DH, que morava com Maria há quatro anos e que ambos eram alcoólatras. ?Segundo o Marcilio, os dois passaram todo o sábado bebendo e se deitaram por volta das 23h?, disse o investigador Magalhães. Por volta das 8h, o homem acordou e levantou para tomar um copo de pinga. Quando voltou para cama, percebeu que Maria estava morta. ?Ele disse que acionou o Samu e eles passaram o telefone do IML, que enviou uma viatura até o local?, lembrou Magalhães.

Ao constatarem as lesões no rosto de Maria, os funcionários do IML acionaram a polícia, para que a morte fosse investigada. Questionado sobre os ferimentos, Marcilio alegou que, em função do alcoolismo, sua esposa não se alimentava corretamente e sofria crises de convulsões, fazendo com que ela se machucasse com freqüência. Porém, o perito Silvestre, do Instituto de Criminalística, acredita que a vítima foi agredida. ?São cortes contusos e não ferimentos causados por alguma queda?, analisou. Encaminhado à delegacia, Marcílio iria prestar depoimento e esclarecimentos sobre o ocorrido.