O Tribunal de Justiça do Estado do Paraná concedeu, ontem, habeas corpus para Carlos Henrique Vieira Rocha, 37 anos, preso acusado de matar o motorista de ônibus Ricardo Germano Hopaloski, 40 anos, durante assalto ao veículo que ele dirigia em Fazenda Rio Grande, em 24 de janeiro. A desembargadora Sônia Regina de Castro concedeu o pedido à defesa do acusado alegando que a prisão foi feita ?sem amparo legal?. Ela afirma que ?a impressão que dá é a de que Rocha serviu ou está servindo para ?tapar o sol com a peneira??, referindo-se à revolta da população que o caso gerou.

A desembargadora concordou com os argumentos da defesa, que contestava o reconhecimento do suspeito pelas suas  roupas. ?A Autoridade Policial não esclareceu nos autos ?como e nem por quê? chegou à pessoa do acusado?, completou. Ela diz ainda que o delegado de Fazenda Rio Grande, Antonio Rocha, não faz menção no inquérito se foi efetuada perícia técnica para saber se havia resquícios de pólvora nas mãos do acusado.

O delegado de Fazenda Rio Grande lamentou a decisão. ?Temos informações que ele é um dos autores. Ele estava junto com o autor do disparo. Isto é um desserviço?, afirmou. Segundo Rocha, o acusado não quis contar nada no seu depoimento. ?Ele é usuário de drogas e só usou evasivas?, explicou. A polícia segue com as investigações.