Será julgado no próximo dia 8 de outubro, Otávio Sérgio Carvalho de Macedo, o “Serginho”, acusado de assassinar a tiros o bicheiro Almir José Hladkyi Solarewicz, no início da noite de 20 de setembro de 2000, no Centro Cívico. Apesar das investigações iniciais apontarem que três homens participaram da execução, “Serginho” foi o único nome apurado pelos investigadores da Delegacia de Homicídios, comandada na época pelo delegado Fauze Salmenn. Os outros dois até hoje não foram identificados.

Dois anos depois da morte, o delegado Gerson Machado, então titular do 6.º Distrito, investigou o caso novamente. O trabalho começou quando surgiram indícios em outro inquérito que estava sendo apurado pelo distrito. Na época, a conclusão do inquérito policial era de que Almir foi executado a mando dos “chefões” do jogo do bicho. Após ouvir várias pessoas que apontavam os bicheiros Francisco Feitosa de Castro, o “Chico Feitosa”, e Fúlvio Martins Pinto como mandantes da execução, e outras duas pessoas que teriam participado do assassinato (entre elas um ex-policial militar), o inquérito foi enviado à uma das Varas Criminais de Curitiba, mas não resultou em mais prisões.