O corpo de José Aparecido foi
encontrado pela mulher dele.

Quando estava deitado na cama, em casa, o catador de papéis José Aparecido Caetano, 63 anos, foi assassinado com dois tiros, no início da tarde de ontem, na Rua Generoso do Nascimento Teixeira Filho, Vila Trindade, no Cajuru. José é acusado de pedofilia e já respondia inquérito pela tentativa de estupro de uma garotinha de 3 anos.

A mulher de José, Aparecida Antunes Caetano, informou que ontem assistiu televisão até às 13h30 e depois foi até a casa de uma vizinha, e as duas decidiram que iriam sair para fazer compras. Quando deixou sua casa, suas netas estavam lavando louças mas também deixaram o local assim que terminaram o serviço.

Aparecida retornou, uma hora depois, para trocar de roupa e sair novamente. Sua neta, de 15 anos, chegou praticamente junto. De repente a menina gritou que haviam matado seu avô. Imediatamente a polícia foi acionada. “Acho que saiu todo mundo e o criminoso já estava esperando”, acredita a mulher. Ela disse que o portão havia ficado aberto e José descansando no quarto.

Foram disparados dois tiros, que acertaram o rosto e o braço da vítima, de acordo com o perito Victorio Librelon, da Polícia Científica. Ao que tudo indica, a vítima estava deitada quando o atirador entrou e efetuou os disparos. José nem teve tempo de se levantar.

Pedofilia

Aparecida contou que José tinha passagens por tentativa de estupro, sendo que uma das vítimas era uma garotinha de 3 anos, que mora nas proximidades. “Ele falava coisas estranhas para as meninas aqui em casa, gostava de mostrar revistas pornográficas para elas. Mas sabe como é, as meninas de casa a gente relevava, mas ele foi mexer com uma estranha”, disse a mulher.

Os investigadores Vladimir e Guimarães, da Delegacia de Homicídios, estiveram no local do crime. Eles acreditam que o motivo do assassinato pode estar relacionado com as acusações de tentativas de estupros de menores.