Givaldo Rodrigues da Silva, 25 anos, preso há dois anos, acusado de tentar matar a ex-companheira Leonice Rodrigues Barbosa, 17 anos, enfrenta hoje o júri popular.

Em agosto de 2006, ela chegava em casa quando Givaldo a teria pego pelos cabelos e dado um tiro em sua nuca. Como continuava a respirar, ele voltou e disparou mais duas vezes. Givaldo foi preso em dezembro do mesmo ano e negou o crime.

O julgamento começa às 9h no 1.º Tribunal de Júri, presidido pela juíza Fernanda Karan. O promotor é Cássio Roberto Chastalo e os assistentes de acusação Luciano Nei Cesconetto e Nilton Ribeiro de Souza. Givaldo é defendido pelo advogado Claudinei Drambroski.