Walter Alves
Os cinco marginais foram apresentados ontem na DFR.

A Delegacia de Furtos e Roubos (DFR) apresentou, ontem, os cinco indivíduos acusados de participar do homicídio do policial civil Dirceu Zorek, ocorrido no último dia 13, em frente ao 11.º Distrito Policial, na Cidade Industrial de Curitiba. Giovanni Diego Rodrigues Faria, 19 anos; Juliano Gonçalves da Luz, 22; Wagner Alves da Silva, 20, e os irmãos Marcelo Rossa de Souza, 30, e Priscila Rossa de Souza, 18, foram detidos no litoral paranaense na segunda-feira.

O delegado Rubens Recalcatti explicou como o crime, confessado pelo grupo, foi cometido. ?O Marcelo e a Priscila se aproximaram da portaria e chamaram o investigador. Eles fingiram que queriam entregar algo para um preso. Enquanto isso, os outros três comparsas estavam encostados em um muro próximo, aguardando o momento para entrar na delegacia?, resumiu. De acordo com os depoimentos dos detidos, a intenção era arrebatar um preso, apelidado de ?Menaim?, que seria amigo de Priscila. ?Houve uma discussão, Marcelo sacou a arma e outro policial que estava atrás de Dirceu atirou. Nesse momento, Marcelo disparou e acertou o investigador?, completou Recalcatti.

O bando foi localizado no litoral, depois de a polícia receber informações de que a quadrilha teria cometido um assalto no Balneário Atami Sul. ?Eles estavam fortemente armados, o que chamou a atenção de moradores locais?, disse o delegado. A partir dessas denúncias, Recalcatti e policiais da DFR foram até Pontal do Paraná, com o apoio do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) e da Polícia Militar do 9.º Batalhão. Os presos foram autuados na delegacia de Ipanema por roubo a residência e porte ilegal de armas de fogo. De acordo com Recalcatti, eles também irão responder por formação de quadrilha, tentativa de resgate e homicídio.