O adolescente de 15 anos, que foi assediado pelo padre Silvio Andrei, na madrugada de domingo, em Ibiporã (Norte do Estado), foi ouvido ontem pelo delegado Marcos Belinati.

Ele confirmou que recebeu proposta para sexo oral. A versão é a mesma apresentada pelos policiais militares que prenderam o suspeito, e que é contestada pelos advogados de defesa.

O inquérito está em segredo de Justiça. As investigações devem apurar se houve abuso por parte dos policiais na prisão. O religioso foi autuado por dirigir embriagado, corrupção ativa (ofereceu dinheiro aos policiais militares para não ir à delegacia) e ato obsceno. Silvio Andrei está em São Paulo.