Beatriz Cordeiro Abagge, uma das acusadas do assassinato do menino Evandro Ramos Caetano, que ocorreu em Guaratuba, em 1992, terá mais um passo de seu processo criminal hoje. Depois de ter sido condenada pelo júri popular, em maio do ano passado, a 21 anos e quatro meses de prisão, seus defensores recorreram da decisão, para tentar anular a sentença.

Os advogados de Beatriz entraram com uma apelação crime, que será julgada hoje, às 13h30, pela 1.ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça. Os desembargadores irão decidir se mantém a decisão do júri ou se o julgamento será anulado, com consequente remarcação de novo júri. Ainda cabe recurso no Superior Tribunal de Justiça, em Brasília. E enquanto o recurso estiver em trâmite, Beatriz tem o direito de aguardar as decisões em liberdade.

Este foi o segundo júri a que Beatriz foi submetida. O primeiro ocorreu em 1998.