Três agentes penitenciários, que saíam em um carro de uma festa, em Londrina, na madrugada de ontem, foram vítimas de atentado, executado por um rapaz em uma moto.

Walter Giovani de Brito, 26 anos, foi ferido com quatro tiros e morreu na hora. Bruno Mazzini da Silva, 26, foi ferido no peito, e Levino Custódio Júnior, 34 não foi atingido.

Levino pegou a pistola calibre 40, que levava no porta-luvas, e baleou o motoqueiro Juliano Jadson Lima dos Santos, 21, que mesmo ferido conseguiu fugir, mas foi preso no Hospital Universitário, quando recebia atendimento. O agente Levino foi preso por não possuir porte de arma.

Paralisação

Segundo o sindicato dos Agentes Penitenciários do Paraná, hoje haverá paralisação nas 23 unidades penitenciárias do Estado, em protesto pela morte de Bruno e também pela prisão de Levino.

Para os representantes do sindicato a população precisa saber sobre os riscos que um agente de segurança estão sujeitos diariamente. Uma das reivindicações é que o governo libere o porte de arma para os agentes penitenciários.