Foto: Daniel Derevecki
Luís morreu menos de uma semana depois da alta hospitalar.

Uma briga ocorrida durante o feriado de Sexta-feira Santa, em 6 de abril deste ano, terminou de forma trágica na madrugada de ontem. O pedreiro Luís Fernando Sampaio, 33 anos, morreu em sua cama enquanto dormia, na casa localizada na Rua Cingapura, em Fazenda Rio Grande. O pedreiro não resistiu aos ferimentos ocasionados há 110 dias, quando foi violentamente espancado por cinco pessoas.

O irmão da vítima, Mauro César, que completou 31 anos ontem, relatou que na tarde da confusão os dois caminhavam de volta para casa, por volta das 17h, quando se depararam com o grupo de inimigos, em frente a um bar na esquina das Ruas Polônia e Bulgária. ?Já tinham ameaçado meu irmão anteriormente. Eles o acusavam de ter roubado um aparelho de TV?, disse Mauro. Porém, desta vez as ameaças transformaram-se em violência e ambos foram agredidos. ?Pegaram a cabeça do Luís e bateram contra o chão. Eram cerca de cinco pessoas. Eu também apanhei e fiquei desacordado?, detalhou. Após a briga, populares acionaram o Siate, que socorreu os irmãos e os encaminhou ao Hospital do Trabalhador. Em melhores condições, Mauro foi liberado poucos dias depois, mas Luís, com grave afundamento na cabeça, corria risco de morte e permaneceu internado até quinta-feira passada, quando recebeu alta.

Familiares ressaltaram que, mesmo liberado pelos médicos, Luís não conseguia comer ou falar. Na madrugada de ontem, por volta das 4h30, Luís passou a respirar de forma estranha e os enfermeiros de um posto de saúde próximo, foram chamados mas já era tarde.