CARAMBEÍ ? O agropecuarista Johan Friederich Schimidt, 68, pagou resgate de R$ 30 mil e libertou a família que era mantida em cativeiro. O seqüestro aconteceu ontem em Carambeí, durou um pouco mais de duas horas e mobilizou a polícia da região. Os três homens envolvidos no crime conseguiram fugir. Eles estavam armados e ameaçaram matar a todos caso não recebessem o dinheiro. 

Schimidt tem uma fazenda localizada à Avenida dos Pioneiros, naquela cidade. Por volta das 12h30, quando chegava ao portão, foi dominado pelos bandidos e obrigado a levá-los para o interior da casa. Ele, a esposa Paulina Rosinha Schmidt, 69; o filho Haroldo Schimidt, 23; e o sobrinho Josnei Pedrollo, 31, foram feitos reféns e trancados em um dos banheiros.

Dinheiro

Aos assaltantes Schimidt ofereceu R$ 1 mil, proposta imediatamente recusada. ?Eles me pediram R$ 350 mil e eu fiquei sem saber o que fazer?, comenta. Em seguida o agropecuarista e Josnei foram separados dos demais, levados para a sala e instruídos a irem ao banco para sacar o dinheiro. Deveriam cumprir rigorosamente às ordens. Caso contrário sofreriam punições.

Schimidt e Josnei saíram da casa por volta da 1h15 em direção à cooperativa, onde funcionam algumas agências bancárias. No bolso da camisa do rapaz os bandidos colocaram um equipamento que estaria dotado de uma microcâmera e de um microfone. Dessa forma poderiam monitorá-los, bem como escutar o que falavam. 

No banco, Schimidt fez um saque de R$ 30 mil. Apesar de estar emocionalmente abalado, teve a idéia de denunciar os bandidos. Antes de sair do prédio pegou uma caneta, um papel e escreveu um bilhete contando que agia sob coação de seqüestradores. Repassou-o ao caixa e retornou à fazenda, acompanhado de Josnei. Em seguida entregou o dinheiro ao grupo.


Fuga

Além do pagamento do resgate, os bandidos queriam levar Haroldo como refém. A família não aceitou e um dos assaltantes fez menção de usar a arma. Diante da situação, Josnei se ofereceu para dirigir o carro e tirá-los da cidade. Todos embarcaram numa Parati de placas AEC-5228, pertencente a Schimidt, e fugiram para Ponta Grossa. Em nenhum momento, segundo as vítimas, os ladrões conferiram o dinheiro. Eles deixaram o local pensando que obtiveram a quantia exigida.

Os criminosos desceram na Rodovia do Café, perto do Viaduto do Vendrami, libertaram Josnei e entraram em dois veículos ? um Audi, preto, e uma F-250, prata. Eles teriam entrado na PR-151 e seguido em direção ao município de Palmeira. Josnei foi a um telefone público e manteve contato com a família para dizer que estava bem. Por volta das 14h40, chegou em Carambeí.

Além da família do agropecuarista, os bandidos chegaram a fazer um quinto refém. O estudante Frederico chegou à fazenda para conversar com Haroldo. Igualmente foi dominado e trancado ao lado dos demais. Nesse momento, ressaltou, Schimidt tinha ido ao banco. ?Eles nos ameaçaram de espancamento e de morte?, conta.

Fonte: Diário dos Campos