t84111204.jpg

Alcione teria a proteção do
"patrão" do tráfico.

Comentários na Vila Guarani de que os comparsas de Alcione Miranda dos Santos, 19 anos, apontado como traficante, preso desde a tarde de quarta-feira na delegacia do Alto Maracanã, em Colombo, pretendiam resgatá-lo, fizeram com que policiais da DP ficassem em alerta e solicitassem reforço. O xadrez, que comporta apenas 12 detentos, está prestes a explodir e ontem abrigava 69 detentos. Preocupados com que Alcione seja libertado, moradores da região entraram ontem em contato com a Tribuna, alertando para o suposto arrebatamento, que estaria marcado para acontecer neste fim de semana.

O superintendente da DP, Job de Freitas, alertou que também recebeu diversas denúncias sobre a suposta retirada do preso. "O Alcione é perigoso, mas temos outros de alta periculosidade. Estamos tentando transferir estes presos", afirmou o policial.

Para demonstrar que há criminosos organizados por trás de Alcione, um dos denunciantes disse que ele contratou um advogado criminalista famoso, cujos honorários são altos. "O patrão dele é um empresário, vem trazer a droga usando uma camioneta preta", disse um homem, que prefere não ser identificado. "É empresário do tráfico", concluiu.

Ameaças

Ainda de acordo com os comentários na Vila Guarani, Alcione teria ameaçado as famílias de duas vítimas de morte. O rapaz foi preso sob acusação de assassinar Erick Richardson Rocha, 23 anos, no dia 22 de agosto, e Mateus Santos de Moraes. Os dois eram viciados em drogas e teriam uma dívida com Alcione.

Ao ser preso, Alcione assumiu as duas mortes, mas negou que tenham qualquer ligação com o tráfico de drogas.