Márcio, Claudemir, Rogério
e Aguinaldo, inexperientes.

Um funcionário deu a dica e o malote da empresa de transporte de passageiros Leblon, contendo quase R$ 30 mil, foi roubado no centro da Fazenda Rio Grande. A delegacia local investigou o caso, ocorrido segunda-feira, e conseguiu prender quatro acusados do assalto.

O Fiat Uno da empresa, ocupado por duas pessoas, foi interceptado às 14h50 por um Santana, no estacionamento da agência bancária onde seria feito o depósito. Claudemir Brito dos Santos, 30 anos; Rogério Castro Paes, 22, e Márcio da Silva, 18, confessaram estar dentro do Santana. “Só mostrei a arma e o motorista do Uno falou que entregaria tudo”, contou Márcio. Agnaldo Castro Paes, irmão de Rogério, dirigia um Fiat Palio e, segundo a polícia, dava cobertura à ação. Ele nega e diz que àquela altura não estava mais no local do roubo.

Acidente

Com R$ 29.720,00 em mãos, os ocupantes do Santana fugiram depois de se envolverem num pequeno acidente de trânsito. O veículo seria abandonado no bairro Iguaçu I e Claudemir, dono do carro, prestou queixa de um suposto assalto na delegacia de Fazenda Rio Grande. Ele tentou convencer os policiais de que fora abordado por ladrões no caixa eletrônico, instalado num posto de combustíveis da BR-116, e teve o veículo roubado.

A polícia requisitou a fita do sistema de vídeo do terminal bancário, mas em nenhum momento Claudemir ou o Santana apareceram. “Estranhamos a história e o chamamos de volta. Ele acabou confessando o roubo e descobrimos o envolvimento dos demais”, disse o superintendente da delegacia, Valdir Bicudo. A intenção do dono do Santana era construir um álibi, pois previa que testemunhas do assalto anotariam a placa do seu carro.

A partir da indicação dos acusados, a polícia recuperou os R$ 29 mil. Com parte do dinheiro, os detidos compraram um Chevette e uma moto – os vendedores foram obrigados a entregar o dinheiro de volta à polícia. A participação do funcionário será melhor apurada pela polícia.