Atraído pela promessa de fazer a vida ganhando dinheiro nos Estados Unidos, um grupo de pessoas foi enganado por uma moça que eles identificam como Gabriela Silvana Kaiser. Ela seria moradora na Rua Bernardo Jacinto da Veiga, no Novo Mundo, local onde as vítimas se conheceram e perceberam que estavam levando um golpe.

Gabriela cobra dinheiro de suas vítimas prometendo levá-las aos Estados Unidos, onde teriam emprego à espera, alojamento e assessoria no país estrangeiro. Ela convence as vítimas mostrando ser uma pessoa influente, com acesso ao consulado americano, onde conseguiria vistos legais "molhando a mão" de algumas pessoas. A criminosa também diz que seu ex-marido tem empresas nos Estados Unidos e, por isso, a garantia dos empregos. Por todas essas facilidades as vítimas pagavam preços altos.

Os irmãos Malton e Nilton da Silva, de 21 e 24 anos, foram iludidos pela promessa de uma vida melhor. Deles, Gabriela cobrou inicialmente R$ 500 de cada um, para verificar se tinham antecedentes criminais, requisito necessário para o visto. Após a entrega da documentação ela cobrava outros US$ 5 mil (dólares), para despesas da viagem e estada inicial em solo norte-americano. Os irmãos chegaram a pagar um total de R$ 11.200 a Gabriela. Porém, não viajaram e também não conseguiram o dinheiro de volta. Eles até registraram queixa na Polícia Federal, no departamento de imigração, porque além do dinheiro querem seus passaportes devolvidos.

O operário Wanderley Barbosa de Faria, 39 anos, e o taxista Dilson Alves da Costa, 34, também deixaram seus empregos para trás acreditando nas promessas de Gabriela. Tentando conseguir seu dinheiro de volta, eles foram informados pela estelionatária de que a viagem não tinha dado certo porque ela também havia sido enganada. A Tribuna tentou alguns contatos, em horários diferenciados, com a acusada através dos telefones fornecidos pelas vítimas, porém ela não atendeu a nenhuma das ligações. Um dos telefones, inclusive, está programado para não receber chamadas.