Olinda Gubert, 64 anos, encontrou morto às 9h de ontem, o homem que há quatro décadas era seu vizinho de muro. O aposentado Hercílio Antoniácomi, 74 anos, estava na cama, em seu quarto, na Rua Coronel Luiz José dos Santos, Boqueirão, envolto por sangue e já em estado de decomposição. O quarto revirado indicava que alguém esteve na casa, mas a polícia ainda não sabe se ele foi assassinado.

“Solteirão”, como diz a vizinha, Hercílio raramente recebia visitas – as únicas que apareciam eram um tio e a esposa deste. Desde o final da semana passada o aposentado não aparecia, o que despertou a curiosidade de Ondina. “Olhei pela janela e ele estava daquele jeito”, falou a mulher.

Revirado

O investigador Nei Marques Bonfim, da Delegacia de Homicídios, viu uma grande bagunça no quarto – gavetas abertas e papéis remexidos em cima da mesa. “Parece que alguém esteve com ele”, falou o policial, que encontrou um recibo de aposentadoria do INSS, de cerca de R$ 1.200,00. Nei suspeita que, no caso de assassinato, alguém pudesse estar de olho no dinheiro.

Mas a perícia da Polícia Científica, numa análise rápida e preliminar, não viu sinais de violência no corpo da vítima, que sofria de complicações cardíacas. “Pode ter sido um infarto, mas só o laudo do IML vai comprovar a causa da morte”, disse o investigador.