Um  casarão abandonado que serve de “comunidade” para andarilhos, na esquina das avenidas República Argentina e Wenceslau Braz, Portão, recebeu a visita da polícia ontem de manhã. Num dos porões, onde um grupo de pessoas se abrigava, um homem conhecido apenas como Donizete foi encontrado sem vida, às 9h30. Nenhum dos companheiros apareceu para contar o que ocorreu com a vítima, cuja morte tem causa desconhecida.

O catador de papel Paulo César, 23 anos, apareceu ontem de manhã na construção – que fica bem em frente ao 8.º Distrito Policial – e encontrou o andarilho morto. A vítima era conhecida na região e abrigava-se ali há alguns anos. Na véspera, foi visto num bar vizinho. “Ele bebia bastante”, contou Paulo César.

Moradores do bairro disseram que cerca de oito homens viviam nos porões do casarão – mas todos já haviam saído quando a polícia apareceu. A perita Solange Corte, da Polícia Científica, não encontrou vestígio de violência no corpo da vítima, que apresentava sangramento pelo nariz. A causa da morte será determinada pelo Instituto Médico Legal.