O coronel Eliseu Furquim, da Associação de Defesa dos Direitos dos Policiais Militares (Amai), explicou que reuniu representantes das duas polícias e foi ao encontro do Conselho Gestor do governo, composto por representantes das secretarias da Administração, da Fazenda e da Segurança Pública, da Casa Civil e da Procuradoria Geral do Estado, para entender a proposta. “A conta que o governador está fazendo não fecha e as regras que ele propõe para os pagamentos não são claras. Temos que aprofundar os estudos. O que ele anunciou é mágica”, disse o coronel.

Richa alegou, em entrevistas a redes de televisão, que pediu máximo esforço para que satisfazer as reivindicações. “Não posso “quebrar’ o Estado para atender a todas as reivindicações salariais” afirmou. “Minha proposta coloca os policiais militares do Paraná no segundo lugar dos melhores salários do País” disse.

Ironia

Enquanto o governador falava nos programas de televisão, os policiais o ironizavam nos radiocomunicadores, dando risadas e comentando as entrevistas. Hoje, um soldado em início de carreira recebe R$ 2.400. Pela proposta oficial, receberia R$ 3.007 neste ano, R$ 3.157 no ano que vem e R$ 3.500 em 2014.